ninho

A medo, os raios de sol rompem o estore mal fechado, deixando entrar a luz marota, intrusa, que rasga a escuridão da noite para nos surpreender.

Observo os traços do teu rosto que conheço de cor, o sereno sorriso no sono repousante da noite de Amor…

Quero deixar-te descansar um pouco mais mas não resisto e cheiro o teu cabelo, teu pescoço, beijo o teu ombro e aperto o meu corpo contra ti, os corpos nus no consolo de uma manhã de Verão sem destino. Sinto de novo o fogoso calor do teu corpo que me faz derreter de desejo.

Beijo os teus lábios selando o sorriso que me ofereces em cada manhã e penso como é bom sentir no teu sorriso a respiração, o ar viciante que absorvo e me deleita apesar do teu protesto. Humm… addicted to Love;-)

Pudera eu ter mais, levar comigo o teu cheiro, o toque macio das tuas mãos, o sabor da tua pele mas, acima de tudo, pudera eu levar para todo o lado, em cada dia, o sabor dos teus lábios doces que acalmam o meu desejo do mel do Amor, os beijos cúmplices de cada carícia, beijos molhados, ardentes, de sabor e toque ímpar que a minha língua suavemente acaricia, para em seguida sôfrega e enlouquecida, num ímpeto de ardor e desejo, sedenta na luta do Amor, procurar na tua boca o choque de titãs que arde no fogo da paixão e, entre a vaga de abraços sem braços, da agitação da ondulação de um mar de fogo, se acalmarem e acariciarem, recomeçando tudo de novo e mais uma vez, selando em cada ciclo, num beijo quente e meigo, com um sorriso cúmplice da paixão adolescente que trago comigo em cada dia e guardo ao longo dos anos desejando-te para toda a eternidade…

Não sei bem porquê, lembro-me de uma música :-) :

«Ó abelha rainha, faz de mim, o instrumento de teu prazer…»